14/05/2021 às 23:51 Podcast Mobgrafando

Mobcast: Conteúdos em Áudio para uma Comunidade que não Cansa de Aprender

36
8min de leitura

Ouvir podcasts acabou virando algo rotineiro na vida do brasileiro, seja para se distrair ou para aprender coisas novas. A Karla Garcia, Supervisora de Onboarding Services na Rock Content, classifica os formatos existentes no mercado em 4 tipos:


GRUPO OFICIAL NO TELEGRAM


1. Individual: é o formato mais simples de podcast, onde geralmente temos um monólogo do apresentador sobre tópicos e temas específicos roteirizados por ele. É uma ótima abordagem pra demonstrar autoconhecimento e construir uma marca pessoal, flexibilizando inclusive os investimentos para manter o podcast no ar. Foi o formato inicial a ser adotado pelo Mobgrafando, até as coisas evoluírem. 

2. Informativo: este formato pode ter 2 ou mais apresentadores, mas seu objetivo principal é sempre trazer informações ao ouvinte. É o que mais se aproxima de um programa de rádio com cunho jornalístico, com a vantagem de poder estar no ar a qualquer momento do dia mediante ao tipo e quantidade de informações a serem trabalhadas. É um dos formatos atuais do Mobgrafando, onde o James Dantas e o Thiago Mello conversam sobre fotografia mobile, novidades do mercado e bastidores da produção de conteúdo.

3. Entrevista: um dos formatos mais populares da podosfera, é um espaço onde a troca de informações acontece de forma mais fluida e até descontraída, dependendo do tom do programa. Convidados são trazidos ao programa para falar sobre temas diversos, que podem ser desde a sua trajetória pessoal, profissional, ou até qual a série que eles mais gostam. Geralmente há uma pauta a se seguir, e a comunidade pode ter abertura de enviar perguntas previamente e fazer parte da conversa. É o outro formato atual do podcast do Mobgrafando, e exige um comprometimento maior com a agenda pois uma vez que se convida alguém, nada pode dar errado xD.

4. Painel: ele é marcado pela presença de um apresentador e mais de um convidado, quase como uma roda de debates. É bem útil para a discussão de eventos, análise de situações e para trazer pontos de vista diferentes sobre determinado assunto. Aqui o cuidado com agenda e equipamentos deve ser ainda mais delicado, pois uma péssima captação de áudio vai gerar uma confusão para o ouvinte que não conseguirá entender nada. 

De acordo com a jornalista Ana Carolina Fonseca do site Correio Brasiliense, em 2018 40% dos usuários de internet no Brasil eram também ouvintes de podcast, fazendo do país o segundo maior mercado do segmento no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Em 2019 a Associação Brasileira de Podcasts (ABPOD) fez mais uma edição da PodPesquisa, uma pesquisa de âmbito nacional que tem como objetivo conhecer a comunidade e o ouvinte de Podcast no Brasil. Nessa edição ela recebeu 16.713 respostas através de formulário digital no período de 21/10/2019 à 15/12/2019, e rendeu algumas informações interessantes:

- 72% do ouvintes de podcasts no Brasil são do público masculino e 27% do público feminino; 

- O público tem uma média de idade de 28 anos;

- A maioria dos entrevistados ouve podcasts há pelo menos 5 anos;

- Grande parte dos ouvintes descobre novos programas por indicação de podcasters e amigos;

- 25% dos entrevistados pagariam por conteúdos exclusivos em seus podcasts favoritos. 

Os dados completos sobre a pesquisa estão no site da ABPOD, mas só com esse resumo dá pra ter noção do poder que o podcast traz não apenas para quem é produtor, mas para quem também é consumidor. Afinal, é uma mídia acessível que pode ser consumida em segundo plano durante atividades cotidianas como fazer exercícios, cuidar dos afazeres domésticos, se deslocar entre sua casa e seu trabalho / faculdade. E como foi o que o Mobgrafando abraçou essa tendência? 

O PILOTO QUE QUASE NÃO DECOLOU

A intenção de fazer um podcast que trouxesse bons conteúdos para a comunidade surgiu justamente da necessidade se ampliar aquilo que era oferecido no Instagram. Em 2018 as lives ainda estavam embrionárias e não tinham ganhado força, então a comunidade merecia uma oportunidade para que os mobgrafistas pudessem aprender coisas novas através de episódios curtos, em forma de pilulas. Como você viu acima, os programas tinham a intenção de adotar o formato individual, mas acabou não funcionando muito bem por conta da aleatoriedade da agenda em que eram lançados. 

Ainda assim, geraram episódios bem interessantes que serviram de base para a adoção do formato de entrevistas, que foi escolhido para disponibilizar de maneira simples e direta as lives que eram feitas com convidados para que a comunidade pudesse ouvir quando e onde quiser. Portanto, neste post, vamos concentrar os 4 episódios da primeira temporada que tem um formato mais distinto, e futuramente, cada episódio de entrevista terá seu post dedicado aqui no blog com links de referência para que você possa acessá-lo quando sentir vontade, e indicá-lo para os amigos :D

#MOBCAST 1 - A MOBGRAFIA

A intenção deste episódio era servir de histórico para o surgimento dos primeiros celulares equipados com câmeras, acompanhado toda a sua evolução até chegar na mobgrafia como conhecemos hoje. O piloto teve um formato curto, de 10 minutos de duração, e é super válido para você que quer conhecer um pouco mais sobre o tema mas ainda não tem intimidade com podcasts, trazendo também algumas curiosidades sobre os benefícios de fotografar com smartphones. 

#MOBCAST 2 - CONHECIMENTO

Neste episódio o objetivo foi falar sobre a importância de se adquirir conhecimento, abordando as possibilidades de capacitação formal, aprendizados cotidianos e formas de se estimular a aprender. Aqui o episódio se mantém curto, por volta dos 15 minutos, e foi o último dessa linha de "pílulas". 

#MOBCAST 3 - O QUE NÃO DIZER A FOTÓGRAFOS

Aqui a opção por converter as lives feitas no instagram do Mobgrafando em áudio começa a ser adotada, e por isso entramos nos episódios com 1 hora de duração. Mas não é porque eles ficam mais longos que ficam mais chatos, afinal estamos usando o formato até hoje e com bons feedbacks xD Este episódio surgiu por conta de uma reflexão feita pela fotógrafa Marcela Veloso do perfil @domeuiphone, onde ela desabafava sobre algumas práticas perpetuadas por certos tipos de seguidores e clientes quanto ao trabalho de um profissional da fotografia, e que podem ser ouvidas também por quem é entusiasta. 

#MOBCAST 4 - FOTOGRAFIA SENSUAL

Esse episódio é considerado um bônus pois seu conteúdo foi gerado através de um live feita nos perfis pessoais dos dois administradores do Mobgrafando. É um papo bem descontraído mas também cheio de conteúdo útil sobre fotografia sensual, onde o Thiago Mello descreve as particularidades do seu trabalho com o James Dantas, afinal na época não era muito comum ver alguém desbravando a jornada da fotografia sensual usando smartphones, ainda mais com o medo real do vazamento de fotos com teor mais íntimo. Vale a pena ouvir cada segundo :D

#MOBCHAT 1 - RESPONDENDO A PERGUNTAS DA COMUNIDADE

Aqui temos os primórdios do formato mais interativo do Mobcast. Apelidado de "Mobchat", a intenção era ter conteúdos mais dirigidos pela comunidade através de sugestões e perguntas. Sendo assim, o primeiro episódio dessa série foi responder algumas perguntas trazidas pelos mobgrafistas e interagir com os espectadores online sobre as reflexões trazidas por elas. 

As perguntas respondidas neste podcast são as seguintes:

1. Qual foi a maior dificuldade inicial com a fotografia? (@arteregistrada)

2. Uso da Google Camera (@brendow_lima)

3. Morrendo de sono - alusão ao feriado - ócio (@_jv.cg

4. O que é uma foto boa? (@paezbrasiloficial)

5. O que importa mais em uma foto: o aspecto técnico ou o conteúdo? (@souza_tiagorj)

6. Como perder o medo de assaltos ao fotografar na rua? (@daniele_ac)

MOBCHAT #2 - FOTOGRAFIA TRADICIONAL E FOTOGRAFIA MOBILE

Neste episódio o James Dantas trouxe o conteúdo de uma palestra que ele ministrou sobre Fotografia mobile e fez um paralelo entre fotografia tradicional. Além disso, aborda a popularização da fotografia e as estratégias das empresas no marketing para atrair os consumidores. 

O infográfico da Zippi citado no episódio pode ser visto aqui: https://www.zippi.co.uk/thestudio/smartphone-cameras-vs-dslrs-who-wins/

Aproveite e confira as hashtags oficiais das fabricantes de smartphones com foco em fotografia:

- Apple: #ShotoniPhone

- Asus: #welovephoto#DefyOrdinary#minhafotocomzenfone

Huawei: #CapturedOnHuawei

- Motorola: #motofoto

- Samsung: #withGalaxy

- Xiaomi: #ShotByMi

MOBCHAT #3 - CONHECENDO AS MOTIVAÇÕES DOS MOBGRAFISTAS

Neste episódio foi aberta a oportunidade de interação com a comunidade para entender suas motivações para gostar da fotografia e suas maneiras de evoluir na arte. Mobgrafistas de todas as partes do Brasil contaram porque o smartphone é uma ferramenta tão útil para eles no dia a dia, e os motivos foram os mais variados, como você confere a seguir:

> "Amo minha Canon, mas é inviável mantê-la ao meu lado no dia a dia. Então meus melhores cliques vêm do celular!" - @marcelofranco87

> "Porque não tenho câmera kkkkk e também porque meu celular tem ótimas câmeras." - @brendow_lima

> "Porque sendo um, posso mostrar que um bom click depende do fotógrafo, e não do equipamento." - @jpemattos

> "Pela facilidade e versatilidade de estar sempre com uma câmera em mãos. E isso virou um vício." - @tiagosouza_photo

> "O celular tornou-se uma câmera compacta que posso levar a qualquer lugar, amo fotografar." - @abrunofarias

> "A praticidade de ter o celular em mãos a qualquer hora do dia, facilita muito!" - @sibphotos_

> "Porque através da câmera do celular retrato tudo o que vejo ao meu redor e no dia a dia da cidade." - @marvinmaciel

> "Porque com o smartphone é mais desafiador, e acho que consigo explorar melhor as configurações da câmera." - @marlondgoliveira

> "Primeiro a falta da câmera. mas acho super prático, olhar para um lado e já achar uma perspectiva diferente." - @_jv.cg

> "Praticidade e agilidade no mínimo quando se fala em fotografia pelo celular." - @hanielmelo

> "No celular eu tiro foto de crianças na praça e edito na hora e envio para os pais de graça. ganho elogios." - @levell_99

> "Pela praticidade e por proporcionar fazer uma boa foto, independente do equipamento." - @daniele_ac

- "Porque inspiração não tem hora e nem lugar para acontecer." - @di.ferreira04

> "Porque não me importa o meu equipamento, só quero mostrar para as pessoas um pouco do que sinto fotografando, e eu amo isso." - @louis.467

> "Praticidade, embora eu use DSLR diariamente por conta do trabalho, o Smartphone me traz novos desafios." - @_ribeiroalair

> "Porque eu amo fotografia. E não tenho dinheiro para comprar uma câmera fotográfica de qualidade." - @willamis_777

> "Por não ter uma câmera, e também por conseguir capturar o que vejo de forma rápida e prática." - @jao.vctr

> "Pela possibilidade de ter uma câmera sempre a mão, e poder transferir sua visão sobre tudo em arte!" - @maykefontenele

E assim terminamos este resumo sobre as origens do Mobcast - o podcast do Mobgrafando. Ouviu todos os episódios? Então conte aqui nos comentários qual você mais gostou e se você gostaria que esse tipo de formato voltasse a dar as caras de maneira mais fixa :D

Até o próximo post aqui no #mobgrafando


GRUPO TELEGRAM



14 Mai 2021

Mobcast: Conteúdos em Áudio para uma Comunidade que não Cansa de Aprender

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

abpod anchor.fm conhecimento correio brasiliense deezer fotografia sensual mobgrafia o que não dizer a fotográfos orelo podcast podosfera podpesquisa rock content spotify

Quem viu também curtiu

14 de Mai de 2021

Mi Watch Lite: Promissor ou problemático?

03 de Nov de 2020

Anuário da Mobgrafia 2021: Participe e Entenda como os Mobgrafistas se Comportam

15 de Mai de 2021

Os Vídeos Não Listados do Canal do Mobgrafando no Youtube